PortugalFoods promove indústria agroalimentar nacional em 20 mercados

Foi com o intuito de explorar as potencialidades que podem ser encontradas a Oriente e identificar aqueles que devem ser os cuidados e as prioridades na abordagem comercial a estes mercados que a PortugalFoods realizou há dias no Porto o workshop “Get in Touch with South Korea and Japan”. 

Estão a mais de 10.000 quilómetros de distância de Portugal, mas abrem um mar de oportunidades à indústria agroalimentar nacional: Japão e Coreia do Sul são dois mercados altamente sofisticados, com mais de 175 milhões de consumidores no conjunto, que devem estar no radar das pequenas e médias empresas (PME) do sector.

Será preciso vencer os imensos desafios logísticos impostos pela distância e adaptar a oferta às especificidades culturais e gastronómicas destes países asiáticos, mas os ganhos podem ser imensos.

Japão e Coreia do Sul são duas geografias que a PortugalFoods identificou como prioritárias para a internacionalização do sector agroalimentar made in Portugal no seu plano conjunto Go Global, que decorre até ao final de 2024 e que se propõe dar a conhecer duas dezenas de mercados muito distintos entre si – do sudeste asiático aos Estados Unidos, dos países do Norte da Europa à Turquia.

Ao todo, serão 40 iniciativas, que incluem a participação em feiras internacionais tão diversas quanto Anuga, na Alemanha, ou a SIAL Xangai, na China; a organização de missões empresariais a vários países (ou de visitas inversas, de comitivas empresariais estrangeiras a Portugal), que terão no seu programa mostras de produto e acções de promoção em street food e em ponto de venda; assim como a elaboração de documentos estratégicos e a organização de workshops que permitam “desvendar” aos empresários nacionais os segredos dos bons negócios lá fora. 

Foi, por isso, um “raio-X” profundo aos mercados japonês e sul-coreano aquele que Pedro Vieira, especialista em negócios internacionais e codiretor do curso de International Business na Porto Business School, promoveu no workshop organizado pela PortugalFoods, que juntou no Centro de Congressos da Alfândega do Porto empresas de vários pontos do País.

A sessão deu a conhecer os diversos aspectos económicos, geográficos e culturais dos dois países, analisando as suas “culturas de negócio” e evidenciando as principais necessidades em termos alimentares, a partir do registo das trocas comerciais.

As empresas JC Coimbra e o grupo Primor, já com track record nestes mercados, foram igualmente convidadas a partilhar as suas experiências, permitindo uma rica troca de informações com as PME presentes. 

No mesmo workshop, a PortugalFoods deu a conhecer de forma mais abrangente o projeto Go Global. «Proporcionando ao sector agroalimentar nacional o acesso a mercados externos diversificados e relevantes através da implementação, num conjunto diverso de empresas, de um plano de acções de internacionalização, este programa tem como objectivo incrementar a competitividade e a base exportadora da indústria – nomeadamente das PME, através da sua capacitação interna.»

Destina-se a organizações desta tipologia das regiões Norte, Centro, Alentejo, Algarve e Lisboa e promove o conhecimento de mercados externos relevantes, incluindo novos mercados; a prospeção, identificação de contactos e presença em mercados internacionais; a dinamização de acções de promoção e marketing internacional, incluindo acções de marketing digital (como a participação em feiras digitais e iniciativas de promoção via web). 

Sessões semelhantes ao workshop “Get in Touch with South Korea and Japan” serão organizadas noutros pontos do País para partilhar informação sobre mercados diversos – onde se incluem os países nórdicos europeus, mas também Croácia, Turquia e Grécia, que serão alvo de acções específicas de prospeção durante o ano de 2024. 

«Prosseguindo na sua missão, de projectar a indústria nacional para o exterior e para o caminho da inovação, a PortugalFoods decidiu criar um plano, desenhado à medida para as PME e implementado de forma conjunta, com vista às sinergias na exploração de novos mercados de negócio em mercados internacionais prioritários. A partilha de informação, de experiências, mas também de recursos entre as organizações (e também entre a indústria e a academia) é crucial para assegurar a sua adaptabilidade e as competências necessárias para estarem presentes em geografias altamente competitivas, muito diferentes entre si. A internacionalização é um processo altamente exigente e fundamental para garantir a competitividade do nosso sector», explicita Deolinda Silva, directora executiva da PortugalFoods. 

As iniciativas do programa Go Global são cofinanciadas pelo Compete2030, Portugal2030, Algarve 2030, Lisboa2030 e União Europeia no âmbito do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. 

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Notícias Recentes

José Manuel Fernandes
José Manuel Fernandes é ministro da Agricultura e Pesca do XXIV Governo Constitucional
3b
Santarém recebe III Colóquio sobre o Uso Sustentável dos Pesticidas a 24 de Maio
Alqueva
EDIA disponibiliza Anuário Agrícola de Alqueva de 2023

Notícias relacionadas

José Manuel Fernandes
José Manuel Fernandes é ministro da Agricultura e Pesca do XXIV Governo Constitucional
O até agora eurodeputado José Manuel Ferreira Fernandes é o nome proposto para...
3b
Santarém recebe III Colóquio sobre o Uso Sustentável dos Pesticidas a 24 de Maio
A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Santarém (ESAS) vai ser...
Alqueva
EDIA disponibiliza Anuário Agrícola de Alqueva de 2023
A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva (EDIA) disponibilizou...
4a
Grow Field Days promove visitas de campo com foco no microbioma do solo
No âmbito da iniciativa “Grow Field Days”, com o mote “De agricultor para agricultor!”,...