Projecto europeu estuda solução de combate à escassez alimentar

Por ocasião do Dia Mundial da Alimentação, assinalado a 16 de Outubro, o projecto europeu RADIANT – liderado pela Universidade Católica Portuguesa (no Porto) – sensibiliza a população e entidades governamentais para a produção e consumo de variedades de alimentos tradicionais, tendo em conta a sua valorização nutricional, bem como as preocupações com a actual sobrepopulação a nível mundial e eventual agravamento da escassez de alimentos.

Segundo dados do relatório de 2022 da ONU, o número de pessoas afectadas pela fome em todo o mundo subiu para 828 milhões em 2021, devido a factores como as mudanças climáticas e a crise alimentar – tendo estes sido amplificados pela pandemia e guerra na Ucrânia.

É neste sentido que o projecto RADIANT pretende «contribuir para a inversão desta realidade através da promoção de alimentos subvalorizados».

O projecto adopta a abordagem da ‘Teoria da Mudança’, através da exploração de variedades tradicionais que permitem a sustentabilidade ambiental, promovem a saúde humana, bem como combinam a neutralidade climática e a resiliência do sistema agrícola através de:

  • redução da emissão de gases e efeito de estufa;
  • prosperidade de sistemas de cultivo em ambientes hostis e solos pobres;
  • maior resiliência ambiental e a qualidade das culturas;
  • uso eficiente de água e de nutrientes essenciais;
  • crescimento local como uma forma culturalmente aceitável de realizar a diversidade nutricional.

«Visamos promover a diversificação das culturas agrícolas, a preservação ambiental e da agrobiodiversidade e o desenvolvimento económico justo, por meio da valorização de variedades tradicionais» defendem os responsáveis pelo projecto.

«Tem-se verificado uma utilização restrita deste tipo de culturas devido ao paradigma de alimentos e sistemas industriais globalizados. A globalização está a tratar o mundo como um único país sem diferenças, resultando numa disponibilização, a nível mundial, do mesmo tipo de produtos agrícolas», acrescentam.

“Realizing Dynamic Value Chains for Underutilised Crops” é coordenado pela Universidade Católica Portuguesa (no Porto), envolve 29 entidades de 12 países – Portugal, Eslovénia, Reino Unido, Hungria, Espanha, Grécia, Itália, Alemanha, Irlanda, Bulgária, Países Baixos e Chipre. É ainda Parceiro da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Podem ser consultadas mais informações através do site oficial RADIANT, bem como das redes sociais do projecto: InstagramFacebookLinkedIn e Twitter.

Assista aqui ao pequeno vídeo da campanha.

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Recentes

posts flf (87)
Frutos Secos
CNCACSA1
Disponibilizadas gravações da conferência sobre alterações climáticas organizada pelo CNCACSA
AgroBiotech1
CAP e P-Bio divulgam relatório do estudo de aplicação de biotecnologia

Notícias relacionadas

posts flf (87)
Frutos Secos
Consulte aqui todos os artigos do Grande Plano de Dezembro dedicado aos Frutos...
CNCACSA1
Disponibilizadas gravações da conferência sobre alterações climáticas organizada pelo CNCACSA
O Centro Nacional de Competências para as Alterações Climáticas do Sector Agroflorestal...
AgroBiotech1
CAP e P-Bio divulgam relatório do estudo de aplicação de biotecnologia
No âmbito do colóquio «AgroBioTech: Uma estratégia para a agrobiotecnologia...
Milho
PDR 2020 com taxa de execução de 87%
O Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020) atingiu uma “Taxa de...