Mulheres agricultoras do Oeste promovem primeiro encontro

Micas Santos, Rita Santos, Rute Ferreira e Susana Ferreira fizeram acontecer o improvável, reunindo mais de 100 agricultoras de vários pontos da região Oeste num convívio inédito, apadrinhado pela Campoeste e pela Syngenta, entre outros parceiros.

«As coisas mudaram, hoje estamos de igual para igual com os homens. Eu sou a primeira mulher presidente de Câmara neste concelho e, por sinal, sou agrónoma», afirmava Laura Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, na abertura do jantar, onde foi agraciada com uma cesta de produtos hortícolas do Oeste.

«Já há mais mulheres formadas do que homens e cada vez mais elas vão para Agronomia», comenta Susana Ferreira, proprietária da exploração agrícola Hortolúcio, Lda., que produz 8,5 hectares de culturas hortícolas na região.

Na última década, a horticultura do Oeste cresceu e modernizou-se, estima-se em 700 a 800 hectares a área de estufas na região. «Hoje é quase tudo mecanizado, as estufas e a rega são automatizadas. A evolução foi enorme», revela Micas Santos, técnica responsável da exploração agrícola Quinta Vale Jordão, Lda.

Esta exploração agrícola fornece clientes exigentes e, por isso, a qualidade e a segurança alimentar são uma prioridade na gestão das culturas. «Para controlar as podridões no tomate e na alface utilizo o biofungicida Taegro. Posso aplicá-lo 1 ou 2 dias antes da colheita, sem quaisquer problemas de detecção de resíduos», garante Micas Santos.

O tomate é a cultura predominante nas estufas do Oeste e algumas empresas, como a de Ana Carvalho, dedicam-se em exclusivo à produção de tomate. «Ensaiamos cinco variedades de tomate coração de boi e a Gigawak foi a que melhor correspondeu às nossas expectativas em termos de produção e de qualidade para o cliente final, pela sua coloração, brilho, sabor e tempo de prateleira», revela esta empresária agrícola, que actualmente produz 5 hectares de tomate em estufa, depois de em 2018 ter investido 1 milhão de euros para duplicar a área produtiva na sua exploração agrícola.

O dinamismo das empresas de comercialização de produtos agrícolas na abertura de novos mercados externos e no apoio e incentivo à produção, tem contribuído para o crescimento da agricultura na região Oeste. «A empresa Patrícia Pilar é um exemplo desse dinamismo, abriu novos canais de comercialização e incentivou os agricultores a aumentar as suas áreas de produção em estufa», conclui Ana Carvalho.

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Notícias Recentes

Agenda1
CNCACSA apresenta Agenda de Investigação e Inovação
IMG_1923a
Evento Inovagro Jovem a 21 de Dezembro em Castro Verde
posts flf (77)
Situação Atual

Notícias relacionadas

Agenda1
CNCACSA apresenta Agenda de Investigação e Inovação
O Centro Nacional de Competências para as Alterações Climáticas do Sector Agroflorestal...
IMG_1923a
Evento Inovagro Jovem a 21 de Dezembro em Castro Verde
Decorre na manhã do dia 21 de Dezembro, em Castro Verde, o evento “Inovagro...
posts flf (77)
Situação Atual
Desde que a Plastdiversity Lda, empresa ligada ao setor plástico decidiu apostar...
nuncio
Regantes apresentam soluções para a escassez de água no Algarve
As XIV Jornadas Fenareg – Encontro do Regadio 2023 decorreram em Alcantarilha,...