Debate sobre mitigação e adaptação às alterações climáticas na Beira Baixa

A sexta e última sessão temática de divulgação, informação e sensibilização pública para a temática das Alterações Climáticas, promovida pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) teve lugar na quarta-feira, 15 de Junho, no auditório da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Castelo Branco (EST-IPCB). No próximo dia 29 de Junho será apresentada a primeira versão do Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas da Beira Baixa (PIAAC-BB).

Na sessão de abertura, Fernando Reinaldo Ribeiro, o director da EST-IPCB, destacou a importância na discussão desta problemática em contexto académico e público. Na sua intervenção, Fernando Jorge, presidente do Município de Oleiros, fez questão de lançar algumas questões para debate, a saber: a barragem do Alvito terá ou não razão de ser? A sensibilização para a poupança da água, não deveria ser financiada pelo poder central, assim como a sua reutilização? Ambiente, a Economia, a Sociedade – serão áreas incompatíveis no nosso desenvolvimento?

Na primeira intervenção, Teresa Andresen abordou as questões intrínsecas ao ordenamento do território quanto ao seu regime de ocupação, uso e transformação do solo, e questões relativas à gestão da paisagem, nas medidas e nas acções para uma intervenção mais activa. «Estamos perante novas políticas, novos instrumentos, novas catástrofes naturais, novas crises humanitárias e novas tendências e valores», sublinhou. «Que paisagem queremos em 2030 na Beira Baixa?», questionou, deixando mesmo algumas pistas – «Estamos perante coisas simples que passam pela gestão, conservação e protecção activas», defendeu.

Já Paulo Marques, da Allbesmart Lda e docente do IPCB, abordou o tema das Cidades Inteligentes e como estas podem adaptar-se às Alterações Climáticas, enunciando acções concretas, designadamente o projecto piloto da rega remota e inteligente no Parque das Violetas, em Castelo Branco; a monitorização remota da qualidade da água no rio Tejo com o município de Vila Velha de Rodão; projecto City Action, postes de iluminação solar em Castelo Branco; realidade aumentada para apoio à operação de redes de água na região de Aveiro; os sistemas inteligentes de transporte (ITS). «Curiosamente foi o progresso tecnológico que causou o problema e será a tecnologia a resolver ou mitigar esse problema», a Beira Baixa funcionará assim como um «laboratório de teste de medidas de combate às Alterações Climáticas», concretizou.

Ana Daam, da Agência Portuguesa do Ambiente reconheceu o «inegável papel dos Municípios e das Comunidades Intermunicipais». Além da abordagem dos riscos das Alterações Climáticas e dos eventos extremos, a responsável fez um enquadramento da política climática nacional e europeia e sobre a evolução das políticas de adaptação às Alterações Climáticas em Portugal. «É essencial a integração da adaptação nas diversas políticas públicas, o que constitui um desafio, mas também uma inevitabilidade, sob pena de não preparar convenientemente o território e as populações para os impactos», concluiu.

No final desta intervenção seguiu-se o debate livre, com moderação de Fernando Reinaldo Ribeiro, director da EST-IPCB. João Carvalhinho, 1º secretário do Secretariado Executivo da CIMBB, encerrou a 6ª Sessão destacando o «excelente momento de participação e partilha». Acredita que o PIAAC-BB será «o melhor roteiro e o mais adequado para a Beira Baixa» e «não será para ficar na gaveta», afiançou. «Este é o nosso compromisso e isto significa que a CIMBB e os municípios da BB não cruzam os braços perante este enorme desafio societal», concluiu.

Finda esta fase de discussão sobre diferentes temáticas já abordadas, será criado e implementado o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas da Beira Baixa (PIAAC-BB).  A sua apresentação preliminar acontece no dia 29 de Junho, para que seja alvo de discussão pública a posteriori nos meses seguintes.

O PIAAC-BB é cofinanciado pelo PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, pelo Portugal 2020 e pelo Fundo de Coesão da União Europeia.

A CIMBB integra os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Recentes

posts flf (87)
Frutos Secos
CNCACSA1
Disponibilizadas gravações da conferência sobre alterações climáticas organizada pelo CNCACSA
AgroBiotech1
CAP e P-Bio divulgam relatório do estudo de aplicação de biotecnologia

Notícias relacionadas

posts flf (87)
Frutos Secos
Consulte aqui todos os artigos do Grande Plano de Dezembro dedicado aos Frutos...
CNCACSA1
Disponibilizadas gravações da conferência sobre alterações climáticas organizada pelo CNCACSA
O Centro Nacional de Competências para as Alterações Climáticas do Sector Agroflorestal...
AgroBiotech1
CAP e P-Bio divulgam relatório do estudo de aplicação de biotecnologia
No âmbito do colóquio «AgroBioTech: Uma estratégia para a agrobiotecnologia...
Milho
PDR 2020 com taxa de execução de 87%
O Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020) atingiu uma “Taxa de...