AJAP apela ao Governo: importa rever a estratégia para os cereais em Portugal

Para a AJAP – Associação dos Jovens Agricultores de Portugal, é essencial actuar nesta campanha dos cereais, com apoios suplementares devido aos preços pagos ao produtor, e no médio e longo prazo, redefinir a estratégia para o cultivo de cereais em Portugal.

Em Portugal, os cereais representam 3,5% da produção agrícola nacional, tendo o milho em grão a componente com maior peso na produção de cereais (56%), seguida do trigo (19%) e do arroz (16%).

Em termos regionais, na produção de cereais destaca-se a região do Alentejo (63%) depois a região Centro (22%), não se verificando grandes alterações desde 2005, com excepção para o milho, que no caso do Alentejo, por via de Alqueva, tem aumentado a área de cultivo. Em termos de área, o Alentejo representa 95 % trigo duro nacional, 73% trigo mole, 80 % aveia, 89% cevada, e 12% do total nacional da área de milho.

O preço estimado para esta campanha de 2024, para o trigo e cevada, pode vir a ser mais baixo do que antes da invasão Ucrânia pela Rússia, em Fevereiro de 2022, um cenário arrasador para os produtores, uma vez que todos os custos dos factores de produção dispararam devido à inflação e à guerra.

O choque inicial de aumentos foi brutal, mas o que é certo é que, aos dias de hoje, a média do aumento dos preços dos fatores de produção, nomeadamente os mais utilizados, ainda se cifra na casa dos 30%, falamos dos combustíveis, eletricidade, máquinas, fertilizantes, produtos fitofarmacêuticos, sementes e mão-de-obra.

A AJAP entende que a Europa deve, obviamente, apoiar a Ucrânia, mas a entrada maciça de cereais daquela proveniência a baixo custo, também por via da diminuição de tarifas ou até mesmo a sua inexistência, não deveria afectar e agravar, como está a acontecer, a situação já de si débil, que os agricultores produtores de cereais europeus têm passado e estão a atravessar.

É entendimento da AJAP que nesta fase, e com um novo Governo em funções, a estratégia para os cereais em Portugal deve ser revista, ser realista e exequível, sob pena de os agricultores continuarem a abandonar o seu cultivo, acentuando-se o decréscimo nas áreas de produção, e obviamente que o percentual para o autoaprovisionamento em Portugal de cereais ajustado a números devidamente estruturados e assentes em medidas de políticas acordadas entre as principais forças políticas.

Para a AJAP, deveria haver um esforço estratégico deste Governo. Importa, no curto prazo, actuar ainda nesta campanha, com apoios suplementares devido aos preços, e no médio e longo prazo, redefinir a estratégia para o cultivo de cereais em Portugal.

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Notícias Recentes

unnamed (23)
CiB promove evento para apresentar resultados do Concurso sobre Novas Técnicas Genómicas
cereais
AJAP apela ao Governo: importa rever a estratégia para os cereais em Portugal
power-lines-532720_1280
Fenareg pede que o Governo active contratos de eletricidade sazonais para o regadio

Notícias relacionadas

unnamed (23)
CiB promove evento para apresentar resultados do Concurso sobre Novas Técnicas Genómicas
O CiB – Centro de Informação de Biotecnologia lançou um concurso nacional sobre...
power-lines-532720_1280
Fenareg pede que o Governo active contratos de eletricidade sazonais para o regadio
Em Portugal, a potência elétrica contratada continua a ser cobrada aos agricultores...
3
Arruda dos Vinhos acolhe Agrifood Open Day 2024 a 10 de Julho
Decorre a 10 de Julho, no Centro Cultural do Morgado/Palácio do Morgado, em...
4b
Asfertglobal lança inoculante microbiano Kiplant Endofit
A multinacional portuguesa Asfertglobal, que opera no sector da biotecnologia,...