ViniPortugal apresenta Referencial Nacional de Sustentabilidade para o sector vitivinícola

Na edição de 2022 do “Fórum Anual dos Vinhos de Portugal”, que teve lugar em Fátima a 23 de Novembro, a ViniPortugal apresentou o “Referencial Nacional de Sustentabilidade” para o sector vitivinícola. Segundo a entidade, «esta certificação será composta por 86 indicadores no total, que podem variar entre aplicáveis, não aplicáveis, indicadores KO e não KO».

Para a ViniPortugal, este referencial – cuja apresentação pode consultar aqui, bem como as outras apresentações do evento – constitui «uma resposta às crescentes exigências dos mercados internacionais, com metas abrangentes ao nível nacional, credíveis, simples, mas simultaneamente acessíveis a todas as organizações do sector vitivinícola nacional responsáveis e orientadas para a sustentabilidade, ou seja, aquelas que estão focadas na criação de valor económico, cultural, social e ambiental». Sobre esta certificação, Frederico Falcão, presidente da ViniPortugal, afirma que «é extremamente importante para o sector, pois a certificação em sustentabilidade está a deixar de ser uma questão de posicionamento distintivo, passando a ser uma questão de acesso aos mercados». «Acredito que muito em breve alguns mercados, principalmente os nórdicos, mas não só, passarão a exigir certificação em sustentabilidade. É por isso essencial que Portugal tenha um referencial único, nacional, promovido pela ViniPortugal pelos vários mercados mundiais, de forma a permitir que os nossos vinhos não fiquem de fora dos vários mercados onde querem competir», comenta.

01121-05-20140717aa_Vinhos do Alentejo

No evento, organizado pela entidade responsável pelo desenvolvimento e execução de estratégias e planos de promoção dos Vinhos de Portugal em mercados internacionais, foi também apresentado o desempenho do vinho português no mercado nacional de Portugal Continental. De acordo com os dados do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), de Janeiro a Setembro de 2022, a venda de vinhos tranquilos no mercado português cresceu 12% em volume (204 milhões de litros) e cresceu 41,5% em valor (817 milhões de euros), com o preço médio a subir 26,4%, face ao mesmo período em 2021, o que a ViniPortugal considera «excelentes resultados, se tivermos em conta a conjuntura económica mundial e o aumento dos custos de matéria prima e distribuição».

A ViniPortugal sublinha também que, de Janeiro a Setembro de 2022, «o mercado da restauração apresentou uma recuperação para valores muito próximos aos registados em 2019, período pré-pandemia». A entidade acrescenta que, «ao longo dos últimos anos, registou-se uma maior predisposição dos consumidores para o consumo dos vinhos certificados e um aumento do preço médio».

242.original_CVRVV

Ao nível das exportações, Portugal totalizou 677 M€ entre Janeiro e Setembro, mais 0,97% em valor quando comparado com o período homólogo de 2021, tendo reduzido o volume de exportações em 0,6% (para 242 milhões de litros) e tendo aumentado o preço médio em 1,57%, atingindo os 2,80 euros por litro. O top 5 dos mercados de exportação, nos nove meses referenciados, foi ocupado por Estados Unidos da América (83 M€), França (81 M€), Reino Unido (55 M€), Brasil (50 M€) e Canadá (43 M€), que em conjunto representaram 38,5% do volume total exportado e 46% do valor total exportado.

A ViniPortugal realça que Portugal está actualmente entre os 10 principais exportadores de vinho a nível mundial e que em 2021 as exportações registaram um recorde histórico em valor, com 927 M€. «É de salientar, que nos últimos três anos, os vinhos portugueses têm apresentado sempre um crescimento em valor nas exportações, mesmo quando vemos alguns dos principais mercados a diminuir a sua capacidade de resposta face às adversidades a que o sector tem estado sujeito nos últimos anos. Contudo, ainda temos muito trabalho pela frente. Apesar de os resultados alcançados este ano, até Setembro, serem positivos, o impacto da guerra na Ucrânia e o consequente aumento dos custos de contexto estão a reflectir-se nos nossos objectivos. Para atingir a meta de 1.000 milhões que definimos, teríamos de crescer 6,24% em 2023. Porém, estamos confiantes na performance dos nossos vinhos e temos um orçamento de 8,3 M€ para investir na promoção dos nossos vinhos em 2023», diz Frederico Falcão.

No evento, que pode visionar aqui, a ViniPortugal e as Entidades Certificadoras apresentaram ainda os Planos de Marketing e Promoção para 2023. Foram também anunciados os vencedores dos Prémios “Distinção CNOIV” – nas áreas de Enologia, Nutrição e Saúde e Viticultura – e do Prémio “Inovação CNOIV” 2022.

Vinho24

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Recentes

José Manuel Fernandes
José Manuel Fernandes é ministro da Agricultura e Pesca do XXIV Governo Constitucional
3b
Santarém recebe III Colóquio sobre o Uso Sustentável dos Pesticidas a 24 de Maio
Alqueva
EDIA disponibiliza Anuário Agrícola de Alqueva de 2023

Notícias relacionadas

José Manuel Fernandes
José Manuel Fernandes é ministro da Agricultura e Pesca do XXIV Governo Constitucional
O até agora eurodeputado José Manuel Ferreira Fernandes é o nome proposto para...
3b
Santarém recebe III Colóquio sobre o Uso Sustentável dos Pesticidas a 24 de Maio
A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Santarém (ESAS) vai ser...
Alqueva
EDIA disponibiliza Anuário Agrícola de Alqueva de 2023
A Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva (EDIA) disponibilizou...
4a
Grow Field Days promove visitas de campo com foco no microbioma do solo
No âmbito da iniciativa “Grow Field Days”, com o mote “De agricultor para agricultor!”,...