Syngenta e Agroútil realizam Jornadas Técnicas Milho em Ponta Delgada

O Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, recebeu a 4 de Abril as Jornadas Técnicas de Milho. Promovido pela Syngenta e pela Agroútil, o evento contou com a presença de cerca de 400 agricultores de São Miguel (Açores), tendo servido para apresentar as tecnologias da Syngenta, com o objectivo de garantir «uma produção de milho de qualidade e mais rentável, fazendo face ao desafio de reduzir os custos das explorações leiteiras açorianas», indica a organização em comunicado. No ano passado, a área de produção de milho na ilha de São Miguel «totalizou cerca de 7.000 hectares», explica-se em comunicado, acrescentando que «o ânimo dos agricultores para a campanha agrícola deste ano é positivo, devendo manter-se a área semeada».

3

Em destaque nestas Jornadas estiveram as sementes de milho com a tecnologia Artesian, «uma das inovações que a Syngenta introduziu na lavoura açoriana nos últimos anos». Segundo a empresa, estas sementes são «capazes de resistir em situações pontuais de falta de chuva, mantendo uma excelente performance».

Hydro e Helium são duas variedades já em uso nos Açores, que «têm tido óptima aceitação aqui em São Miguel, devido aos bons resultados que os agricultores conseguem», referiu João Oliveira, gerente da Agroútil – empresa distribuidora da tecnologia Syngenta nos Açores e que vende em exclusivo sementes de milho Syngenta. As duas empresas estão a testar com os agricultores açorianos outra variedade de milho com a tecnologia Artesian, a Zephir, de ciclo FAO 300, «indicado para sementeiras mais tardias».

Ainda para esta campanha, surge como novidade a Gladius, um milho de ciclo FAO 600, «de folhagem exuberante e ligeiramente mais alto do que o Hydro, com excelente qualidade nutricional», afirma a Syngenta. Eduardo Lopes, responsável técnico comercial da Syngenta para as sementes na região Norte de Portugal e Açores, diz que, «em 2017, fizemos três campos experimentais em São Miguel com o Gladius, que teve muito bom comportamento – é mais uma excelente opção para a lavoura açoriana».

2

Para controlo de infestantes, com a aposta numa estratégia de controlo em pré-emergência, foi assinalada a existência dos herbicidas Lumax (que detém «uma quota de mercado próxima de 90% no submercado da pré-emergência» no Arquipélago dos Açores), Calisto e Elumis. A Syngenta defende em comunicado que, «em anos com maior taxa de humidade, os herbicidas Calisto e Elumis ajudam o agricultor a fazer correcções, controlando as infestantes numa fase de pós-emergência».

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Recentes

Sogrape Sustentabilidade
Sogrape certificada pelo Referencial Nacional de Sustentabilidade do Sector Vitivinícola
posts flf (87)
Frutos Secos
CNCACSA1
Disponibilizadas gravações da conferência sobre alterações climáticas organizada pelo CNCACSA

Notícias relacionadas

Sogrape Sustentabilidade
Sogrape certificada pelo Referencial Nacional de Sustentabilidade do Sector Vitivinícola
A empresa portuguesa de vinhos Sogrape obteve a certificação pelo “Referencial...
posts flf (87)
Frutos Secos
Consulte aqui todos os artigos do Grande Plano de Dezembro dedicado aos Frutos...
CNCACSA1
Disponibilizadas gravações da conferência sobre alterações climáticas organizada pelo CNCACSA
O Centro Nacional de Competências para as Alterações Climáticas do Sector Agroflorestal...
AgroBiotech1
CAP e P-Bio divulgam relatório do estudo de aplicação de biotecnologia
No âmbito do colóquio «AgroBioTech: Uma estratégia para a agrobiotecnologia...