pg 88_publirreportagem mercadona 1

Mercadona com pêra Rocha de excelência este ano

Em 2021, a cadeia de supermercados comprou 2.400 toneladas de pêra Rocha, sendo que 70% foi para Espanha. O trabalho realizado em parceria com o sector primário nacional é uma aposta forte da Mercadona e acompanhámos a colheita num dos fornecedores portugueses, a Obirocha.

Empenhada em manter a proximidade com o sector primário nacional, a Mercadona procura estabelecer parcerias com o objectivo de oferecer nas suas lojas os produtos frescos com a máxima qualidade. Entre esses produtos, está a pêra Rocha. Em 2021, a cadeia de supermercados que conta já com 35 lojas abertas em Portugal – comprou 2.400 toneladas de pêra Rocha, sendo que 70% (cerca de 1.700 toneladas) se destinou aos supermercados da empresa em Espanha.

Um trabalho que resulta da parceria com cinco fornecedores desta fruta produzida em Portugal, na região Oeste, e onde se incluem a Frutas Patricia Pilar, a Cooperfrutas, o Grupo CPF, Frutitaipina e a Obirocha.

Foi precisamente junto desta última empresa, sediada em Óbidos, que acompanhámos a actual campanha, cuja produção seguirá para as lojas da Mercadona em Espanha.

A Obirocha é uma cooperativa que reúne 12 produtores – todos com produção certificada – onde se produz, além de maçã de Alcobaça IGP (em 34 hectares), pêra Rocha, que ocupa uma área que ronda os 160 hectares.

Pela sexta campanha consecutiva, são fornecedores da Mercadona exclusivamente para os supermercados em Espanha e não podiam estar mais satisfeitos com esta parceria. «É muito importante trabalharmos com um grupo que é profissional. Orgulhamo-nos de trabalhar com a Mercadona e fazemos o possível para oferecermos o melhor que temos. Quando há algum problema, tudo fica resolvido com um telefonema», começa por dizer Nelson Ventura, responsável da Obirocha. «Por outro aldo, têm uma planificação muito rigorosa, o que nos facilita bastante toda a actividade. É um cliente especial por isso», acrescenta.

pg 88_publirreportagem mercadona 3

A Mercadona começa a fazer a pré-selecção do produto logo no campo, identificando uma parcela que corresponda aos parâmetros do produto que o consumidor final pretende. Inclusivamente, dá apoio técnico no sentido da implementação de práticas agrícolas para que os pomares possam continuar a produzir de forma sustentável e com garantia de qualidade no produto final.

«A Mercadona rege-se por parâmetros. Estes resultam de um trabalho feito por especialistas da empresa, que, junto dos seus “Chefes” [como tratam os seus clientes], tentam descobrir se as pêras de cada colheita têm as características que procuram. A partir desses estudos, definimos um perfil, desde o calibre, ao Brix (teor de açúcares), o aspecto… e dizemos ao fornecedor o que queremos», explica Pedro Barraco, director de Relação com o Sector Primário da Mercadona Portugal.

«Nas nossas lojas temos fruta pronta a consumir. Ou seja, esta tem de sair da central em determinado estado de maturação, para que o consumidor a coma no ponto certo. Somos muito exigentes com todos estes aspectos», acrescenta o mesmo responsável.

A planificação é, assim, palavra de ordem em toda esta relação com os produtores. «Queremos dar essa estabilidade ao fornecedor», afiança Pedro Barraco.

Há seis anos, quando a pêra Rocha não era ainda muito conhecida em Espanha, colocaram-na num pequeno conjunto de lojas. Hoje está nas mais de 1.600 lojas que a cadeia tem no país vizinho. «É um fruto cujas vendas têm crescido de forma gradual e positiva. O ano passado tivemos uma média de 5 kg de pêra Rocha vendida diariamente por loja».

Este ano – apesar de ter sido atípico e com quebras de produção que podem ultrapassar os 50% – a qualidade da pêra é «excelente, porque está com os Brix bastante elevados», assegura Nelson Ventura. Pedro Barraco confirma: «Quando recebemos as primeiras amostras dos nossos cinco fornecedores ficámos surpreendidos com a qualidade deste ano, onde temos pêras com elevado grau de Brix».

Perante a excelente qualidade da fruta, o director de Relação com o Sector Primário da Mercadona Portugal acredita que as vendas vão subir ainda mais.

Com a fileira da pêra Rocha a atravessar uma campanha bastante desafiante, Domingos dos Santos, presidente da Associação Nacional de Produtores de Pêra Rocha (ANP), acredita que esta pode ser uma oportunidade para se valorizar a qualidade da fruta. «Estamos a falar de uma variedade que, por natureza, é uma fruta de calibres médios e pequenos. Ou seja, a qualidade está óptima. E é essa aposta que temos de fazer, não em quantidade, mas na qualidade desta variedade única. Além disso, por este ano ter muito açúcar, aguenta mais tempo de conservação», reforça Domingos dos Santos.

pg 88_publirreportagem mercadona 2

Rita Marinho (ANP), Pedro Barraco (Mercadona), Manuel Almeida (Obirocha), Domingos dos Santos (ANP) e Nelson Ventura (Obirocha)

«A quebra de produção acaba por ser preocupante ao nível das centrais fruteiras, mas tem de se caminhar mais para a valorização. Temos de saber comunicar pêras com sabor. Há anos que isto não acontecia. E a grande distribuição tem de alinhar connosco também na comunicação do sabor. Pode ser um ano para tirar algumas lições», defende o presidente da ANP.

Para o mesmo responsável, a parceria dos produtores nacionais com uma cadeia como a Mercadona é de congratular. «As exigências da grande distribuição têm contribuído para uma maior profissionalização, ao ponto de neste momento estarmos preparados para exportar para qualquer destino com uma segurança alimentar que corresponde aos mais exigentes padrões de qualidade do Mundo.»

Domingos dos Santos ressalva também o profissionalismo e o rigor da Mercadona. «Trabalhar com uma empresa que tem uma estratégia definida e planificada também tira custos às centrais, porque lhes assegura a estabilidade que necessitam para que os processos sejam fluidos. Por outro lado, o que a Mercadona faz é muito interessante, porque através da sua plataforma em Portugal, além de vender no mercado nacional, é o maior operador em Espanha, alavancando as exportações e dando a conhecer este produto português único junto de outros consumidores», conclui.

*conteúdo patrocionado 

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria