vegetable-skewer-3317060_1920

Portugal tem a partir de agora um Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, apresentou no Centro de Experimentação Agrária de Tavira, no Algarve, o Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável (PNAES).

Sob os eixos “Consumo”, “Produção”, “Dieta Mediterrânica” e “Educação e Literacia Alimentar”, a missão deste Plano passa por estimular a produção nacional; promover a adopção de sistemas de produção e distribuição mais sustentáveis, com base nas cadeias curtas de abastecimento e nos sistemas alimentares locais; valorizar os produtos endógenos de qualidade; valorizar e salvaguardar a Dieta Mediterrânica, enquanto sistema e padrão alimentar característico do território nacional, criando e promovendo estímulos à sua adesão; e sensibilizar e aconselhar os consumidores e a população em geral para a adopção de uma alimentação nutricionalmente equilibrada e informada.

«Nós somos aquilo que comemos. As nossas decisões, enquanto consumidores, condicionam a nossa saúde, mas também a saúde do ambiente e da economia do nosso País. Convictos do quão capaz é o sector agroalimentar nacional de responder e superar expectativas, com produtos seguros e de excelência, vamos também nós, com este Plano, unir esforços e dialogar com o tecido empresarial e científico para a sua implementação», referiu a governante.

Este Plano nasce no âmbito da Agenda de Inovação “Terra Futura” e responde à Promoção da Dieta Mediterrânica e de uma alimentação equilibrada, diversificada e sustentável, tendo ainda em consideração a Estratégia Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (ESANP).

Maria do Céu Antunes reforçou, ainda, a importância de «valorizar os produtos endógenos e de época, assim como a carne de pequenos ruminantes e as cadeias curtas, uma vez que isso promove a coesão territorial, ao mesmo tempo que fixa pessoas, cria emprego e gera mais riqueza nos territórios».

Ainda no âmbito do PNAES, vai ser lançado, já em Dezembro, um Aviso com uma dotação de 5 M€ – “Rede Rural Nacional – Observatório da agricultura e dos territórios rurais” – que tem como objectivo dotar os territórios de técnicos, nutricionistas e agrónomos, capazes de implementar um plano de acções de sensibilização e aconselhamento aos consumidores e à população dos territórios rurais, que promovam a adopção de uma alimentação saudável e económica. A meta consiste em apoiar, a nível regional, 23 iniciativas.

Na cerimónia de apresentação do Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável foi também assinado o Contrato de Parceria para Gestão e Dinamização do Polo de Inovação de Tavira e Agenda de Inovação, que juntou mais de 20 entidades. O documento pretende criar as condições para que o polo de Inovação de Tavira (CEAT) se constitua no centro nacional da Dieta Mediterrânica, e que contribua para a diversificação da base económica da região, partindo do papel da Dieta Mediterrânica e da fileira do agroalimentar, e para o reforço das sinergias com outras regiões e outros sectores económicos.

Presentes no evento estiveram também o secretário de Estado a Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho; o presidente da Assembleia Municipal de Tavira, José Manuel Guerreiro; a presidente da Câmara Municipal de Tavira, Ana Paula Martins; o director geral da Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Rogério Ferreira; o director regional DRAP Algarve, Pedro Monteiro, e a bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria