Trioza1

DGAV publica nova actualização da zona demarcada para Trioza erytreae

Poucos dias depois de ter divulgado uma actualização da zona demarcada para a Trioza erytreae Del Guercio, com inclusão de freguesias na região do Algarve, a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) publicou a 11 de Outubro o Despacho n.º 53/G/2021, com nova actualização. A zona demarcada passou assim a incluir como «freguesia infestada» Odeceixe, no concelho de Aljezur – onde Rogil também é «freguesia infestada» e Aljezur é «freguesia parcialmente abrangida» –, e, como «freguesia parcialmente abrangida», no concelho de Monchique, as freguesias de Marmelete e Monchique.

A Trioza erytreae Del Guercio, insecto também conhecido como psila africana dos citrinos, provoca estragos directos e significativos nos citrinos e é também vector da doença Huanglongbing (ou Citrus greening – enverdecimento dos citrinos), considerada como a mais grave a nível mundial para estas espécies vegetais, causada pela bactéria Candidatus liberibacter spp., cuja entrada no território europeu se pretende evitar. A DGAV já indicou que, «apesar das medidas de erradicação implementadas e em execução, no quadro do Plano de Contingência em vigor, o insecto tem vindo a alastrar-se ao longo da costa litoral, de norte para sul do território», e, no final de Setembro, em articulação com a Direcção Regional de Agricultura e Pesca do Algarve (DRAP Algarve), foi realizada uma largada do parasitóide Tamarixia dryi nesta região.

Pode consultar aqui o Despacho n.º 53/G/2021, da DGAV, com a nova actualização da zona demarcada para a Trioza erytreae Del Guercio em Portugal.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria