1a

10.º Prémio Nacional de Agricultura já abriu candidaturas

Já podem ser apresentadas candidaturas à décima edição do Prémio Nacional de Agricultura, iniciativa promovida anualmente pelo BPI e pela Cofina, com o alto patrocínio do Ministério da Agricultura e o apoio da PwC, para distinguir «empresas, projectos e personalidades pelo seu contributo para o sector da agricultura». As candidaturas podem ser entregues até 7 de Novembro de 2021, exclusivamente no site do Prémio Nacional de Agricultura (em www.premioagricultura.pt).

A edição de 2021 terá as mesmas categorias da edição anterior – “Jovens agricultores”, “Empresário em nome individual”, “Agricultura digital”, “Agricultura exportadora”, “Agricultura sustentável” –, sendo também distinguida «uma personalidade com grande contributo para o sector». O lançamento da iniciativa teve lugar ontem, 8 de Setembro, na Agroglobal – feira agrícola que decorre em Valada do Ribatejo (concelho do Cartaxo) até hoje, 9 de Setembro –, num evento em que esteve presente a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, a qual «salientou a importância desta iniciativa para fomentar o empreendedorismo e trazer jovens para a agricultura portuguesa, valorizando a actividade agrícola como factor determinante da recuperação económica e do bem-estar social», refere o BPI.

CEO_BPI.JOAOPEDROOLIVEIRAECOSTA.AGROGLOBAL

Na ocasião, João Pedro Oliveira e Costa, presidente executivo do BPI (na imagem), indicou a digitalização como «uma solução óbvia para assegurar a transição para a sustentabilidade e a manutenção dos mais elevados padrões de segurança alimentar», acrescentando que é fundamental «criar as condições certas para aumentar a sua competitividade, fixar mão-de-obra altamente qualificada e fomentar a inovação e o desenvolvimento de centros de competências especializados». Pedro Barreto, administrador do BPI, considerou que o balanço desta iniciativa é «muito positivo», tendo realçado a transformação do sector na última década, a resiliência à pandemia e o forte crescimento das exportações e da entrada das empresas em novos mercados, apontando ainda como grandes desafios para o futuro da agricultura portuguesa «a digitalização de processos, a especialização da mão-de-obra e a gestão da água».

As candidaturas vão ser avaliadas pela PwC, por Comités Técnicos e por um Júri, tendo em conta critérios como «qualidade e inovação da oferta, satisfação do cliente, valorização dos produtos locais, tecnologia digital, estratégias de globalização e sustentabilidade (bioeconomia)». Os vencedores serão anunciados em Janeiro de 2022.

Desde a primeira edição, esta iniciativa criada para «premiar os agricultores e as empresas portuguesas que se distingam como casos de sucesso no sector da agricultura em Portugal» já recebeu cerca de 7.500 candidaturas e atribuiu cerca de 130 prémios e menções honrosas. Foram apresentadas 920 candidaturas na edição de 2020, o que, para o BPI, demonstra «a atractividade do prémio e a dinâmica do sector nos últimos anos».

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria