b546d00d-db03-44c2-9569-df8086997d90

Smart Farm Colab inaugura novas instalações

Inovar a agricultura do concelho de Torres Vedras, da região Oeste e do país, no sentido da sua digitalização. É este o propósito principal da Associação Smart Farm Colab, cujas instalações foram inauguradas no dia 29 de Julho, numa cerimónia que contou com as presenças da ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, e do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

A funcionar num espaço do INIAV (Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária), em Dois Portos, esta associação terá contratado até Setembro oito colaboradores, pretendendo-se que no próximo ano esse número ascenda a 17.

Recorde-se que a Associação Smart Farm Colab é um laboratório colaborativo constituído por um consórcio de empresas privadas, instituições de investigação e universidades, visando a investigação aplicada na agricultura e abordando desafios actuais relacionados com esta área económica, incluindo as alterações climáticas, a inteligência artificial e a economia circular. Pretende ser um centro gerador de soluções digitais inovadoras para a agricultura e uma referência nacional e internacional para a digitalização neste sector.

Na cerimónia de inauguração das instalações da Smart Farm Colab, o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, recordou o processo que levou à criação desta entidade, que partiu de uma candidatura liderada pelo Município de Torres Vedras para acreditação de laboratórios colaborativos, sendo que por meio da Smart Farm Colab se pretende contribuir a partir de Torres Vedras para a implementação de um modelo de agricultura digital no País.

Na sua intervenção, Carlos Bernardes recordou a importância do sector agrícola no concelho de Torres Vedras (que contabiliza mais de 1.600 empresas e representa um volume de negócios anual de cerca de 200 milhões de euros), nomeadamente da vitivinicultura e da horticultura, um activo que «carece de capacitação, carece de conhecimento», tendo frisado a importância da «sociedade do conhecimento» estar envolvida no projecto que é a Smart Farm Colab. De resto, segundo o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, a localização deste laboratório colaborativo nas instalações do INIAV representa um “upgrade” para as mesmas, que tanto significado têm para a história da agricultura nacional, sendo que esse facto irá permitir «um trabalho em rede, em ecossistema».

Após terem usado da palavra Samuel Pereira (vice-residente da direcção da SFColab – que apresentou uma retrospectiva do trabalho realizado por esta associação e projectou o seu futuro – e Nuno Canada (presidente do conselho directivo do INIAV) – que afirmou que a instituição que dirige se tem posicionado para ser o «epicentro» da agricultura digital em Portugal, um desígnio nacional, que deve beneficiar não apenas a «grande agricultura», mas também a «pequena agricultura» – foi a vez de intervir a ministra da Agricultura.

Maria do Céu Antunes referiu-se à Smart Farm Colab como «uma iniciativa da maior importância para a agricultura e o País», tendo frisado a premência «da agricultura e da ciência terem de dar as mãos». «O conhecimento, a tecnologia têm estado ao serviço da agricultura, nomeadamente na agricultura mais competitiva», afirmou na ocasião a ministra da Agricultura, salientando no entanto que «temos de ir mais longe» no aproveitamento dos recursos naturais por meio de tecnologia de ponta. «Precisamos de ter uma agricultura 4.0», realçou,, afirmando que «na agricultura precisamos da digitalização, da tecnologia, da precisão».

Já o ministro da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior sublinhou o modelo de colaboração entre o sector público e o privado que está subjacente à concepção desta associação, que terá como consequência o desenvolvimento do tecido empresarial local.

Manuel Heitor referiu também na sua intervenção a importância do trabalho que a SFColab tem a fazer no sentido do aumento da produtividade agrícola e da diminuição do consumo de água e da utilização de produtos químicos na agricultura, que é uma prática bastante generalizada na região Oeste. No seu discurso, o ministro da Ciência sublinhou também que os laboratórios colaborativos são fonte de criação de emprego altamente qualificado, sendo que existem outros 26 em Portugal, tendo a Smart Farm Colab especificamente a missão de difusão de conhecimento junto da população por meio de actividades de formação.

Após a intervenção de Manuel Heitor, foi efectuada uma breve apresentação da SFColab pelo seu coordenador científico, José Barata, bem como do projecto da Quinta do Pinto, pelo director do mesmo, António Pinto.

 

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria