solo 2

Dia aberto do grupo operacional MaisSolo na Golegã

Realiza-se a 27 de Fevereiro, na Golegã, o “Dia aberto/Acção de demonstração do grupo operacional MaisSolo”. Neste evento, vão ser visitados campos piloto – instalados em terrenos da Sociedade Agrícola São João de Brito, da Herdade Quinta do Manique, de Susete Matos (da Agromais) e de Lurdes Almeida (da Torriba) – e serão apresentados os resultados obtidos no âmbito do MaisSolo, nas seguintes vertentes: “As espécies mais adequadas às culturas de cobertura para o sistema produtivo do Ribatejo”, “Caracterização físico-química dos solos e nutrientes imobilizados pelas culturas de cobertura”, “Nemátodes como indicadores biológicos da qualidade do solo”, “Indicadores microbiológicos”, “Biodiversidade dos artrópodes de solo”.

Este grupo operacional é coordenado pelo Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional (Cothn) e envolve o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (Iniav), a Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS), a Agromais, a Torriba e a Fertiprado. Teve início a 2 de Janeiro de 2017 e termina a 20 de Junho de 2020.

O grupo operacional MaisSolo decorre no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020) e tem como objectivo principal a «melhoria da gestão dos sistemas agrícolas e florestais». O foco desta iniciativa consiste nos «difíceis problemas fitossanitários» existentes nos sistemas agrícolas que assentam em monocultura para fins industriais, com o eventual agravamento pela retirada de substâncias activas do mercado.

No MaisSolo «pretende-se desenvolver e aplicar tecnologias alternativas à luta química, nomeadamente desenvolver um novo produto, que será utilizado nas culturas de cobertura ou em sucessão, constituído por misturas de sementes inoculadas com microorganismos benéficos e associado a tecnologias a desenvolver como a biofumigação, plantas developer e luta biológica». «Estas técnicas permitirão retirar tratamentos muito tóxicos, com consequente estabelecimento de espécies de microrganismos que, quando presentes no ambiente rizosférico, protegem as plantas do ataque dos agentes patogénicos.»

Pode consultar o programa do “Dia aberto/Acção de demonstração do grupo operacional MaisSolo” aqui.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *