Margem multifuncional em olival - Trasmulas (Granada) - Germán Canomanuel (100x80) (1)a

Syngenta apresenta resultados do Operation Pollinator

No XI Congreso Nacional de Entomología Aplicada, que teve lugar em Madrid, Espanha, em Novembro, a Syngenta apresentou os resultados do projecto internacional Operation Pollinator. Tendo em conta os resultados agora apresentados, a Syngenta considera que o projecto «demonstra que é possível aumentar o número de insectos auxiliares nas explorações agrícolas graças à instalação de margens multifuncionais em apenas 5% da área agrícola».

Segundo a empresa, «em três anos de monitorização das espécies nestas margens [em 10 parcelas agrícolas, em diversas culturas (pomares, hortícolas, vinha e cereais), em Portugal e Espanha], verificou-se que o número total de espécies de insectos aumentou 130%». A Syngenta refere que se observou «um aumento significativo na diversidade de insectos nas diferentes culturas», que «em todos os grupos de insectos (ordens como os Himenópteros, Lepidópteros, Coleópteros, etc.) houve um aumento significativo das espécies» e que «muitas destas espécies são insectos polinizadores, auxiliares e inclusive endémicos».

A empresa detalha o aumento dos insectos por ordens: os Himenópteros (abelhas, vespas, formigas) aumentaram 170%; os Lepidópteros (borboletas), 96%; os Coleópteros (escaravelhos), 115%; os Dípteros (moscas), 252%; os neurópteros, grupo de insectos menos numeroso, aumentaram 66%. É também indicado que, «na parcela do ensaio na Herdade do Pinheiro, em Alcácer do Sal, foram encontradas pela primeira vez em Portugal espécies de abelhas silvestres como Tenthredo baetica, Andrena albopunctata ssp. melona ou Panurgus banksianus, bem como a borboleta Cynthia virginiensis, que emigra desde os EUA».

Vanessa virginiensis na Herdade do Pinheiro (Portugal) c - Oscar Aguado (80x100)b

 

Para apurar estes dados, foi seguida uma metodologia científica: colheita de amostras dos insectos presentes em cada margem florida semeada; posteriormente, cada insecto foi identificado em laboratório e classificado por categoria – polinizadores, auxiliares (predadores de pragas) ou endémicos (espécies presentes apenas em áreas restritas de uma região). A Syngenta acrescenta que, nas 10 parcelas estudadas, «foram semeadas margens com espécies herbáceas especialmente adaptadas a cada zona climática e com capacidade de atrair uma grande diversidade de insectos polinizadores e auxiliares, graças à produção de pólen e néctar».

O projecto Operation Pollinator foi iniciado há dez anos para incrementar a biodiversidade nos campos agrícolas da Península Ibérica e já beneficiou 6,4 milhões de hectares (ha) a nível mundial, dos quais 16.257 ha em Portugal. Esta iniciativa baseia-se no estabelecimento de habitats específicos para insectos polinizadores em zonas cultivadas, visando fornecer alimento e refúgios naturais para os polinizadores, bem como fomentar a presença de outros artrópodes auxiliares (predadores e parasitóides).

 

Imagem de abertura: Margem multifuncional em olival, em Trasmulas, Granada, Espanha (Germán Canomanuel)

Imagem complementar: Vanessa virginiensis, na Herdade do Pinheiro, em Portugal (Oscar Aguado)

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *