SMART FARM

Sustentabilidade e segurança marcam três anos de Smart Farm

A Smart Farm, espaço de demonstração da implementação de boas práticas agrícolas, celebra o seu 3º aniversário. Inaugurada a 18 de Novembro de 2016, já recebeu neste espaço mais de 700 visitantes, sendo este um projecto que tem como missão «estar ao serviço do sector agrícola e da sociedade em geral, dando a conhecer aquelas que são as melhores práticas para uma agricultura segura e sustentável».

O projecto, que nasceu com o objectivo de promover a partilha de informação sobre o uso seguro e sustentável dos produtos fitofarmacêuticos, tem vindo a aproximar-se não só do sector, mas, sobretudo, de estudantes, curiosos e público em geral, que visitam regularmente a Smart Farm.

Nos últimos três anos, este projecto foi distinguido de diversas formas, seja com a visita de entidades parlamentares, seja com distinções como a que obteve em 2018, com uma menção honrosa na cerimónia de entrega dos prémios Green Project Awards.

Para António Lopes Dias, director executivo da ANIPLA, «o objectivo é que este seja um projecto em constante evolução, que funcione como extensão do trabalho desenvolvido diariamente pela ANIPLA, e que represente, acima de tudo, um ponto de encontro e partilha entre o sector e o cidadão. Mais do que sensibilizar profissionais e técnicos ligados a esta área, importa consciencializar o público em geral para a importância da tecnologia ao serviço de uma agricultura melhor. Nos últimos três anos, a Smart Farm tem evoluído em termos da tecnologia instalada e sendo a protecção e promoção da biodiversidade uma das suas maiores preocupações, temos promovido, através de exemplos práticos, formação no que respeita a estratégias de protecção integrada e boas práticas de utilização de produtos fitofarmacêuticos – sensibilizando todos os que nos visitam para a importância da preservação da fauna e flora e dos próprios organismos auxiliares».

Neste balanço de três anos de trabalho, a ANIPLA destaca ainda os projectos Cultivar a Segurança e TOPPS, focados nas boas práticas de segurança para o operador e na protecção da água e do ambiente, respectivamente, «que muito têm contribuído para a partilha de mensagens chave importantíssimas no uso de produtos fitofarmacêuticos», acrescenta ainda António Lopes Dias.

Para o futuro, deste que é um espaço totalmente gratuito, as perspectivas passam por assegurar que todos se atrevem a saber mais sobre temas importantes como a protecção e promoção da biodiversidade e os avanços tecnológicos ligados ao uso de produtos fitofarmacêuticos, aproximando a população daquela que é a realidade na produção dos alimentos que todos os dias são consumidos em casa de cada família portuguesa.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *