CAP_Conselho de Presidentes_2

Presidente da República condecorou CAP

O Presidente de República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) como Membro Honorário da Ordem de Mérito Empresarial, na vertente agrícola. A condecoração foi entregue no encerramento do Conselho de Presidentes 2019, evento realizado pela CAP nos dias 25 e 26 de Novembro, em Tomar, para comemorar o seu 44.º aniversário.

«A CAP é um parceiro social para o nosso futuro colectivo. [Os seus fundadores] percorreram caminhos penosos para ultrapassar tradições corporativas e rejeições difíceis, até ganharem espaço vital e, mais tarde, espaço negocial e estratégico. Este já longo passado de 44 anos foi vivido, desde o início, sempre contra o vento e, muitas das vezes, no meio das condições mais adversas. É-lhe, por isso, devido um gesto de gratidão nacional. Gesto que hoje assumo condecorando a CAP com o título de Membro Honorário da Ordem de Mérito Empresarial, na vertente Agrícola», referiu o Presidente da República na ocasião. Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que a agricultura é um sector «vital», que, na última década, «mudou muito e para melhor» e que, «independentemente das razões de conjuntura que, em cada momento, condicionam ou aconselham uma arrumação de pelouros diversa, não há uma política agrária global que não envolva a Agricultura, as Florestas e o Desenvolvimento Rural».

CAP_Conselho de Presidentes_3a

 

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, que esteve presente na abertura do Conselho de Presidentes 2019, a 25 de Novembro, disse que «a agricultura nacional pode e vai continuar a crescer, pode e vai continuar a projectar o nosso País» e que «tudo faremos para honrar o voto de confiança que nos deram». «As preocupações que nos fizeram chegar estão em avaliação. As preocupações que nos fizeram chegar são também as nossas preocupações. (…) Iremos trabalhar em conjunto para criarmos melhores condições para a agricultura em Portugal, para semearmos uma agricultura mais sustentável, mais inovadora e mais competitiva», defendeu a ministra.

No evento, foi realçado o passado e o papel da CAP, «o extenso trabalho que tem desenvolvido nas suas diversas vertentes», o acompanhamento e apoio técnico aos agricultores, as acções de promoção e de sensibilização para o mundo rural que promove e as actividades «intensas» que desenvolve em Bruxelas – onde tem uma representação permanente desde 1986. «Nascemos por um imperativo: a defesa da propriedade e também a defesa da livre iniciativa. Não por uma questão individualista, mas sim por inconformismo perante um caminho que se tentou impor ao País e que cedo passou a ser contestado. Foi aqui bem perto que nasceu esse movimento, que hoje, passados 44 anos, se transformou naquilo em que tinha de se transformar. O baluarte do ideal da agricultura assente nas pessoas, na livre escolha e na continuada defesa do modelo que acreditamos ser o mais adequado ao estilo social e económico da nossa nação», sublinhou Eduardo Oliveira e Sousa, presidente da CAP, durante o Conselho de Presidentes 2019.

Esta foi a oitava edição do Conselho de Presidentes da CAP. Recorde-se que a entidade foi criada em 25 de Novembro de 1975.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *