retalho_supermercado

200 M€ para promover produtos agroalimentares da União Europeia

A Comissão Europeia anunciou que vai disponibilizar 200,9 milhões de euros (M€) em 2020 para «financiar actividades de promoção de produtos agroalimentares da União Europeia» dentro e fora do seu território. Em comunicado, a Comissão diz que pretende «ajudar o sector a tirar partido do mercado global de produtos agroalimentares, cada vez mais vasto e dinâmico, aumentar a sensibilização para os regimes de qualidade, incluindo da produção biológica, e ajudar os produtores que enfrentarem perturbações do mercado».

Este apoio será proporcionado através de programas com formatos «simples» (quando é apresentado por uma ou mais organizações proponentes do mesmo Estado-membro) ou «multi» (quando é proposto por, pelo menos, duas organizações proponentes de, pelo menos, dois Estados-membros, ou por uma ou mais organizações europeias). Segundo a Comissão, «os convites à apresentação de propostas para as próximas campanhas de 2020 serão publicados em Janeiro desse ano», existindo um leque vasto de organismos que podem apresentar propostas e pedido de financiamento, «como organizações comerciais, organizações de produtores e grupos agroalimentares responsáveis por actividades de promoção.»

Em 2020, a verba reservada para programas simples vai ser de 100 M€ e para programas multi será de 91,4 M€. Um montante suplementar de 9,5 M€ será reservado para iniciativas da Comissão, incluindo «a participação em feiras e campanhas de comunicação, bem como iniciativas diplomáticas lideradas pelo comissário europeu para a Agricultura e o Desenvolvimento Rural e acompanhadas por uma delegação empresarial».

A Comissão indica ainda que estas iniciativas serão reforçadas com 17,2 M€ adicionais, «provenientes dos programas de promoção multi de 2019». Esta dotação «representará um apoio suplementar para os queijos e manteigas, o azeite e as azeitonas de mesa num mercado global desafiante».

Um total de 118 M€ será destinado a campanhas que envolvem «mercados fora da UE com elevado potencial de crescimento, como o Canadá, a China, a Coreia, o Japão, o México e os Estados Unidos da América», explica o comunicado. A Comissão afirma que «as campanhas seleccionadas deverão melhorar a competitividade e o perfil dos produtos agroalimentares da UE, bem como aumentar o seu consumo e a sua quota de mercado nos países visados».

Também se pretende que as campanhas contribuam «para informar os consumidores da UE e do resto do Mundo sobre os diversos regimes e rótulos de qualidade da UE, tais como as indicações geográficas ou os produtos biológicos», que consigam «destacar as elevadas normas de segurança e qualidade, bem como a diversidade e os aspectos tradicionais dos produtos agroalimentares da UE». Relativamente ao mercado interno, o foco será «na promoção de uma alimentação saudável e no aumento do consumo de fruta e produtos hortícolas, no âmbito de um regime alimentar equilibrado».

 

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *