Maria Albuquerque1

Maria do Céu Albuquerque é a nova ministra da Agricultura

Maria do Céu Albuquerque é a ministra da Agricultura do XXII Governo Constitucional, na sequência do Governo formado por António Costa, primeiro-ministro indigitado na sequência dos resultados das eleições legislativas de 6 de Outubro. A composição ministerial do novo Governo foi apresentada ontem, 15 de Outubro, ao Presidente da República, que lhe deu o seu assentimento.

A substituta de Luís Capoulas Santos – anterior ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural – era secretária de Estado do Desenvolvimento Regional desde Fevereiro do corrente ano e é uma das duas únicas caras novas do elenco ministerial do XXII Governo Constitucional. Na eleição de 6 de Outubro, Maria do Céu Albuquerque foi eleita pelo Partido Socialista (PS) por Santarém.

Segundo os dados disponíveis no site do XXI Governo Constitucional, a agora nomeada ministra da Agricultura nasceu em 1970 em Abrantes. É licenciada em Bioquímica pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e pós-graduada em Gestão da Qualidade e Segurança Alimentar pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz.

Maria do Céu Albuquerque foi presidente da Câmara Municipal de Abrantes durante nove anos e, desde 2013, presidiu ao Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Foi membro do Conselho Económico e Social e do Conselho das Comunidades e Regiões da Europa na Comissão Permanente para a Igualdade das Mulheres e dos Homens na Vida Local.

É membro do Comité de Acompanhamento do Programa Operacional Regional do Centro – Centro 2020 e da Comissão Executiva da Entidade Regional do Turismo Centro de Portugal, presidindo também à Direcção da TecParques – Associação Portuguesa de Parques de Ciência e Tecnologia. Maria do Céu Albuquerque integra o secretariado nacional do PS.

A nomeação e posse do XXII Governo Constitucional está prevista para a próxima semana, em data a determinar depois da publicação do mapa oficial da eleição de 6 de Outubro e da primeira reunião da Assembleia da República. A proposta ontem apresentada ao Presidente da República será oportunamente complementada com os restantes secretários de Estado – até ao momento, apenas foram anunciados o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, o secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro e o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministro.

Tem sido salientado o facto de esta nomeação constituir uma surpresa (porque eram apontados outros nomes), de Maria do Céu Albuquerque ser uma desconhecida no sector agrícola, de a sua função mais próxima do sector ter sido o tempo passado na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional e de ser a segunda mulher a ocupar o cargo, depois de Assunção Cristas. Também têm sido realçados os desafios com que a ministra da Agricultura se vai defrontar nos próximos tempos, num sector que tem vindo a ganhar nova dinâmica e complexidade. O destaque dos desafios vai para a negociação da Política Agrícola Comum pós-2020 e dos respectivos fundos e para a sua aplicação no País.

Segundo o Jornal de Negócios, a área das Florestas passa para o Ministério do Ambiente e da Acção Climática, que será liderado por João Pedro Matos Fernandes. Já a área do Desenvolvimento Rural, indica o mesmo jornal, deverá passar para a tutela do Ministério da Coesão Territorial, com Ana Abrunhosa como ministra.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *