Sem Título

Novas detecções de Xylella fastidiosa

Na sequência da primeira detecção, a 3 de Janeiro, da presença da bactéria Xylella fastidiosa subsp. multiplex numa sebe ornamental de Lavandula dentata, em Vila Nova de Gaia, e da subsequente prospecção intensiva, a decorrer na área circundante, para determinação da extensão do foco, foram detectados contaminados, no mesmo local, outros três canteiros de Lavandula dentata, bem como, dois canteiros de Lavandula angustifólia, todos eles constituídos a partir de plantas de duas sebes originais plantadas lado a lado.

A informação é dada pela Direcção Geral de Alimentação e Veterinária, através de um ofício.

Além disso, a cerca de um quilómetro do foco inicial, em resultado dos trabalhos de prospecção, foram detectadas plantas infectadas de três espécies de ornamentais – Rosmarinus officinalisArtemisia arborescens e Coprosma repens – localizadas num viveiro não comercial. Prosseguem os trabalhos de prospecção na área, incluindo em todos os espaços públicos do concelho de Vila Nova de Gaia.

Face a estas detecções foi redefinida a “Área Demarcada” que compreende as duas “Zonas Infectadas”, incluindo todas as plantas hospedeiras da subespécie da bactéria que se encontram num raio de 100 metros em redor das plantas contaminadas, e uma “Zona Tampão” circundante de 5 km de raio.

Publicamos a lista das freguesias abrangidas pela “Área Demarcada”:

Concelho de Gondomar

Foz do Sousa e Covelo;

Fânzeres e São Pedro da Cova;

Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim.

Concelho de Vila Nova de Gaia

Avintes;

Canelas;

Mafamude e Vilar do Paraíso;

Oliveira do Douro;

Pedroso e Seixezelo;

Sandim, Olival, Lever e Crestuma;

Serzedo e Perosinho;

Vilar de Andorinho.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *