maçã_alcobaça IGP

APMA quer melhorar a qualidade da Maçã de Alcobaça e reforçar a diferenciação

A Associação de Produtores de Maçã de Alcobaça (APMA), juntamente com produtores e parceiros científicos, promove cinco estudos em torno da Maçã de Alcobaça, IGP (Indicação Geográfica Protegida).

Os trabalhos, explica a APMA, procuram o «reforço e aperfeiçoamento de processos inteligentes, naturais e amigos do ambiente, mas também procuram mais eficiência e rigor para maior qualidade das maçãs, bem como da actividade e da região».

As candidaturas foram feitas no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 2020 e aguarda-se financiamento para os mesmos. Os trabalhos submetidos são:

SafeApple, Conservação da Qualidade da Maçã de Alcobaça: estudar formas de conservar as características de qualidade diferenciadoras da Maçã de Alcobaça, durante um período de tempo mais prolongado, permitindo obter maçãs mais frescas, com técnicas de conservação inteligentes, naturais e amigas do ambiente. Trata-se de uma estratégia assente na elevada qualidade, associada à elevada segurança para o consumidor, e trabalhar para criar condições de maior resistência dos frutos ao transporte em grande distância de períodos mais prolongados;

Optimal, Optimização da Maçã de Alcobaça: aperfeiçoamento um novo modelo de pomar adoptado e actualmente implementado pela fileira da Maçã de Alcobaça, submetendo-o a um conjunto de estudos que suportem a elaboração de uma matriz de procedimentos técnicos e culturais que permitam melhorar a optimização do desempenho do pomar nas condições edafo-climáticas da IGP e elevar o grau de profissionalismo desta actividade. Procura-se maximizar a eficiência futura de um modelo já de si extremamente eficiente face ao pomar da última década, mas prepará-lo para ombrear sempre com as zonas de produção mundiais mais competitivas;

MacFertiqual: optimização da nutrição em pomares de alta densidade, visando a maximização da qualidade da Maçã de Alcobaça em particular do seu valor nutricional e funcional enquanto alimento saudável. Identificação de valores de referência para os nutrientes, considerados chave para a produção e qualidade da Maçã de Alcobaça, e desta forma implementar metodologias expeditas susceptíveis de serem implementadas pelos fruticultores para monitorização do estado nutricional dos seus pomares;

CAVMA, Caracterização, Autenticidade e Valorização da Maçã de Alcobaça: estudo mais aprofundado do conhecimento das características diferenciadoras das várias variedades de Maçã de Alcobaça, traçando ainda com mais detalhe o seu perfil e o seu potencial, por métodos científicos expeditos e objetivos, reconhecendo e comprovando a sua autenticidade relativamente às de outras proveniências. Contribuindo desta forma para um melhor reconhecimento da autenticidade da Maçã de Alcobaça, sua tipificação e valorização bem como protecção relativamente a adulterações de origem indesejáveis, permitindo ainda disponibilizar ao consumidor informação ainda mais detalhada sobre a qualidade deste prestigiado produto.

ProEnergy, Novos produtos alimentares e bioenergia a partir de frutos de baixo valor comercial e resíduos agroindustriais: desenvolvimento e concepção de novos produtos à base de Maçã de Alcobaça, valorizando frutos de menor valor comercial, bem como de partes de frutos não aproveitados, de modo a serem valorizados, assim como estudar a produção de biogás a partir dos resíduos orgânicos não valorizados. Procurar criar o máximo de valor na cadeia produtiva.

No desenvolvimento destes projectos, a APMA conta com o apoio do Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional, com os produtores associados Campotec, Cooperfrutas, Frubaça, Frutalvor e Granfer, com várias empresas de produção, bem como, com o Instituto Nacional de Investigação Agraria e Veterinária, o Instituto Superior de Agronomia e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria