DiaCampoFruticulturaSyngentaAlcobaça (2)

Syngenta apresenta soluções para pêra e maçã

Agricultores e técnicos, 50 no total, da região Oeste participaram a 28 de Julho num dia de campo na Estação de Fruticultura Vieira Natividade, em Alcobaça, promovido pela Syngenta.

A empresa relembrou aos participantes que tem no seu portefólio o Chorus, um fungicida anti-pedrado, e apresentou o Geoxe, o novo fungicida aplicado antes da colheita para prevenir as doenças de conservação da fruta.

Rui Maia de Sousa, técnico do Instituto Nacional de Investigação Agrária (Iniav), responsável pelo Estação de Alcobaça, apresentou a estratégia de protecção aplicada nos pomares do campo demonstrativo com a gama Syngenta, e fez o balanço do ano agrícola: «A floração das pereiras foi boa, mas a plena floração coincidiu com uma semana de chuva e temperaturas muito baixas, o que ocasionou mau vingamento dos frutos».

O mesmo responsável sublinhou ainda que «a floração das macieiras foi mais escalonada, o que se irá reflectir numa maturação dos frutos também escalonada».

Aos agricultores, Rui Maia de Sousa deixou uma mensagem: «Terem um especial cuidado na aplicação dos produtos fitossanitários no final do ciclo de desenvolvimento dos frutos, de modo a que sejam respeitados os intervalo de segurança dos produtos».

DiaCampoFruticulturaSyngentaAlcobaça (3)

O sucesso da estratégia de protecção contra o pedrado consistiu na aplicação de Chorus, nas fases iniciais do ciclo das fruteiras – do abrolhamento à queda das pétalas –, seguido do Score, posicionado na fase de floração. «O Chorus deve ser posicionado no período anterior à floração, porque é eficaz mesmo com temperaturas abaixo dos 10 oC, nas fases iniciais do ciclo. Aconselha-se dois tratamentos e eventualmente um terceiro quando o período de floração é muito longo», explica Gilberto Lopes, field expert da Syngenta.

Nuno Franco, do departamento Técnico da Frubaça, reconhece que o Score «é um produto de referência na família dos triazóis para controlo do pedrado, bastante usado pelos agricultores e técnicos do Oeste».

No documento enviado à imprensa, lê-se ainda que «na gama de insecticidas, o Insegar foi eficaz a controlar o bichado nas pereiras, com acção secundária no controlo da psila e da cochonilha de São José, e o Actara relevou-se a escolha acertada para controlo do pulgão lanígero nas macieiras e dos afídeos, tanto nas pereiras como nas macieiras».

DiaCampoFruticulturaSyngentaAlcobaça

Na parte da jornada que decorreu em sala, foi apresentado o Geoxe, novo fungicida homologado para controlo das podridões de conservação em pera e maçã, causadas por Gloesporium spp. e Penicillium expansum. O Geoxe é indicado para tratamento dos frutos antes da colheita, visando protegê-los da primeira infecção que pode ocorrer no campo. Estão autorizadas no máximo duas aplicações, via foliar, por campanha, que devem ser realizadas entre três a 10 dias antes da colheita. A dose recomendada é de 450 g/hectare.

«A Syngenta recomenda uma estratégia conjunta de aplicação de Geoxe, em pré-colheita, com Scholar, em pós-colheita, no caso de variedades de fruta mais sensíveis ao desenvolvimento de doenças de conservação e/ou destinadas a armazenamento longo», explica a empresa.

Notícias relacionadas




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria