António Costa e Luís Mesquita Dias (diretor geral da Vitacress)

Primeiro-ministro visita Vitacress e Maravilha Farms

A 15 de Maio, vários elementos do Governo estiveram em Odemira, no Litoral alentejano. António Costa, primeiro-ministro, Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Medeiros Vieira, secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, e João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, foram visitar duas empresas consideradas «bons exemplos» no sector agro-alimentar nacional: a Vitacress e a Maravilha Farms.

Durante a manhã, decorreu a visita à Vitacress, que em Portugal garante cerca de 360 postos de trabalho e explora uma área total de produção de 280 hectares (ha) ao ar livre, 15 ha de túneis e 13 ha de estufas de vidro. A maioria desta área está situada em Odemira.

Esta empresa de capital português conta ainda com uma quinta totalmente dedicada à produção de agrião de água em Almancil (Algarve) e com uma unidade de produção de tomate biológico em Alcochete (Ribatejo). A Vitacress também produz tomate biológico em San Martin, Espanha.

A empresa do grupo português RAR produz em Portugal, anualmente, 5.000 toneladas (t) de saladas, 1.200 t de batata e 1.000 t de tomate. Do total da produção nacional, 35% destina-se à exportação, para vários países da Europa e África.

Com um volume de negócios de 134 milhões de euros, a Vitacress está presente no Reino Unido, em Portugal, em Espanha e no Benelux. No total, emprega cerca de 1.525 funcionários e explora cerca de 665 ha de produção agrícola ao ar livre e 40 ha de estufas de vidro.

Luís Medeiros Vieira, João Vasconcelos, António Costa, Luís Mesquita Dias e Capoula Santos

Na parte da tarde foi a vez da Maravilha Farms, que conta com cerca de 150 ha de produção de framboesa, amora e mirtilo nos concelhos de Odemira e de Tavira (Algarve). Esta empresa exporta 98% da sua produção, para «Reino Unido, Irlanda, Alemanha, países nórdicos e Benelux».

Durante a visita dos membros do Governo, Luís Pinheiro, director geral da Maravilha Farms, anunciou a intenção de investir 19 milhões de euros nos próximos cinco anos para duplicar a área de produção, com o objectivo de atingir, no fim do mesmo período, um volume de negócios de 50 milhões de euros. Em 2016, o volume de negócios da da empresa foi superior a 19,5 milhões de euros.

Presente em Portugal há 10 anos, a Maravilha Farms é detida pela Reiter Affiliated Companies (RAC), empresa norte-americana de produção de pequenos frutos. Segundo Luís Pinheiro, a Maravilha Farms representa «cerca de 2%» do «universo» da RAC.

A Maravilha Farms está a analisar outras «duas regiões possíveis para instalar projectos de miritilo»: a zona de Almeirim, no distrito de Santarém; a zona do Alqueva, no Alentejo. Esta empresa emprega «de forma directa» cerca de 700 pessoas em Odemira e Tavira – das quais, cerca de 15% são de nacionalidade portuguesa.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *