congressomilho2015_001

Congresso do Milho: «A produção agrícola terá de aumentar em 60%»

No primeiro dia, 11 de Fevereiro, do X Congresso do Milho, organizado pela Associação Nacional dos Produtores de Milho e Sorgo (Anpromis), Hélder Muteia, representante da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla inglesa) em Portugal, afirmou que a questão da alimentação «deve ser encarada de uma forma integrada, com produção, política, demografia. E é importante garantir que a qualidade acontece em todas as etapas». O responsável interveio num painel sobre os desafios que se colocam à agricultura mundial.

congressomilho2015_002Hélder Muteia comentou ainda que «devemos caminhar para sistemas alimentares sustentáveis, ou seja, que sejam saudáveis, nutritivos, geradores de rendimento para quem produz, amigos do ambiente».

Em 2050 a população ascenderá a 9,2 mil milhões. Um crescimento populacional que vai aumentar procura de bens alimentares. Para Hélder Muteia ainda «não estamos preparados para responder» a esta procura. O representante da FAO alertou que «a produção agrícola terá de aumentar em 60% para responder à procura de alimentos que andarão na ordem dos 3 mil milhões de toneladas de cereais e 470 milhões de toneladas de carne».

Numa sala do hotel Altis, em Lisboa, mais de 600 produtores de milho e empresário agrícolas, ouviram José Manuel Lima Santos, professor do Instituto Superior de Agronomia, afirmar«que o aumento de produção por hectare é inevitável. É preciso aumentar eficiência energética, da água, e outros recursos naturais».

António Serrano, presidente da Jerónimo Martins Agroalimentar, salientou a importância do sector agrícola, «uma área onde deve haver consenso» e sublinhou que «não é possível ter um país só de serviços, não é à toa que este sector se chama de primário».

Por seu turno, Jorge Correia, director geral da DAI Sociedade de Desenvolvimento Agro-Industrial, afiançou que a volatilidade dos preços pode ser minimizada com «o estabelecimento de parcerias, ou seja, distribuindo o risco».

Na sessão de abertura do X Congresso do Milho, o presidente da Anpromis, Luis Vasconcellos e Souza, afirmou que «a crescente importância que a agricultura tem vindo a adquirir, enquanto factor de criação de valor acrescentado na economia, é hoje uma realidade indiscutível. Este é um dos sectores que mais poderá contribuir para o crescimento de um país e para o equilíbrio da sua balança comercial. É fundamental valorizar o sector e fazer dele uma preocupação não apenas dos agricultores mas sim de toda a sociedade».

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, marcou presença na sessão de abertura. «O equilíbrio da nossa balança comercial de produtos alimentares em 2020 é uma meta ambiciosa mas não impossível», afirmou o Presidente da República. Cavaco Silva apelou ainda ao aumento da produção, referindo que «necessitamos mais do que produzimos e produzimos menos do que importamos».

O encontro termina a 12 de Fevereiro, dia para debater a agricultura de precisão, as sementes: fonte de inovação e a agricultura de regadio no âmbito da nova Política Agrícola Comum 2014-2020.

Leia tudo sobre o X Congresso do Milho na próxima edição da Frutas, Legumes e Flores.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fotogaleria